3 de julho de 2016

Bruna Campos Desvendando os Segredos dos Direitos Autorais

O mercado fonográfico, diferentemente do que era praticado na antiguidade, onde os autores apresentavam e vendiam suas obras em praça pública, hoje movimenta milhões em todo o mundo, inclusive na arrecadação e distribuição de direitos autorais. Compositores, letristas e artistas em geral dão duro para ter seu trabalho reconhecido e obter uma fatia desse bolo. Apenas no ano de 2015, o Escritório de Arrecadação de Direitos Autorais – ECAD distribuiu 771,7 milhões de reais entre compositores, intérpretes, músicos, editores, produtores fonográficos e as oito associações de gestão coletiva musical que o compõe. Apesar do advento da internet, as informações sobre os direitos autorais são pouco difundidas e muitas vezes distorcidas.

Em meio a esse cenário incerto surge uma voz com conhecimento de causa, coragem e autoridade para elucidar as questões envolvendo os direitos autorais, Bruna Campos (37). Nascida em Campo Grande – MS, com descendência japonesa por parte do avô materno oriundo da província de Oknawa no sul do Japão e filha mais velha de uma família de dois filhos, Bruna nos conta que sempre foi apaixonada pela musica. Inspirada pelo pai, que fazia parte do octeto de vozes da igreja Batista e do Quarteto Prelúdio que frequentemente ensaiavam em sua casa, a cantora cresceu ouvindo musica o que a fez envolver-se por essa arte, chegou a participar de alguns programas de TV quando criança e posteriormente cantou na igreja.

Entre a infância e adolescência gostava de praticar esportes como o vôlei e basquete, dançar e cantar. Concorreu em festivais de musica na escola onde também tocava lira na fanfarra. Aos oito anos, já mostrando muita responsabilidade, passava um mês preparando seu show, com coreografia e dublagem sendo duas horas de repertório muito bem ensaiado. E em um dado dia, fazia com que seu pai assistisse sua performance logo que chegara do escritório e antes mesmo que tirasse a gravata. Ali em uma cadeira, estrategicamente colocada em frente ao portão, o Dr. João Campos permanecia duas horas apreciando o que Bruna costumava chamar de showzinho infantil. A cantora ressalta que não se lembra de sua vida sem musica. Cresceu cantando musicas das cantoras de sua época e também cantava na igreja, sua tia costumava dizer que ainda quando bebê seu choro já era melódico, acrescenta.

Em 1996, sem o apoio da família – pois seu pai já sabia como era difícil a vida dos artistas na noite por experiência própria – a cantora iniciou sua carreira musical e participou de apresentações e da gravação da musica Se Você Quer no CD ao vivo da dupla João Haroldo e Betinho. Bruna enfatiza que foi um grande sucesso, contudo, seu pai aconselhou-a que parasse de cantar até terminar a faculdade. A partir daí, passou a cantar apenas como hobby. Em 2000, Bruna tirou a carteira da Ordem dos Músicos e passou a apresentar-se profissionalmente. Ela nos relata que foram tempos difíceis, cantou em bares e botecos de Campo Grande por dois anos. A dupla Bruna Campos & Thiagão surgiu em 2001, ela e seu parceiro fizeram shows durante um ano. Embora tenha muito talento para o canto, Bruna nos revela que não toca muito bem violão e não domina instrumento algum. Começou a estudar piano, flauta e violão, nunca foi até o final com nenhum deles. Porém, no piano ainda se arrisca, desde que não tenha nenhum pianista ao lado. Sobre autorias próprias ela diz que não compõe e, isso não é por má vontade. E sim, porque ela acredita ser melhor usar seu tempo incentivando seus compositores a compor e usar o restante do tempo cuidando deles e esclarece: “se eu começar a compor também, eu vou perder o foco”.

Atualmente Bruna faz parte de um trio formado por Flavinho Coelho irmão do compositor Euler Coelho e o violonista Elinho Wada no projeto intitulado Derrama. O projeto Derrama surgiu da ideia de gravar o sertanejo antigo para apresentar para o público infanto-juvenil as origens da musica sertaneja, ou seja, quando começou. E também, visando preservar a história do gênero. O trio não faz shows, foram prensados apenas duas mil cópias do CD e distribuído entre amigos. Entre as regravações estão grandes sucessos apresentadas anteriormente nas vozes de Duduca e Dalvan, Durval e Davi, entre outros artistas. Bruna enfatiza que quando vê um vídeo em que a mãe gravou o filho cantando musicas do CD Derrama, tanto ela quanto seus parceiros têm a sensação de missão cumprida. O CD está disponível nas plataformas digitais e no site da cantora, vale a pena conferir. O Derrama volume 2 já está sendo trabalhado. As musicas serão surpresa, aguardem!

Quando perguntado a razão de uma cantora estudar direito, Bruna nos revelou que seu pai é advogado e, assim como na musica, ela também foi influenciada a seguir o ramo do Direito. Acrescenta que achou interessante fazer Direito já que cresceu na casa de um Advogado. Durante os anos de faculdade, fez estágio por cinco anos no Ministério Público na área de consumidor e cidadania, ficou entusiasmada com o trabalho e pretendia ser promotora. Entretanto, a musica falou mais alto e o projeto de ser promotora foi abandonado. Nesse mesmo período, além de estudar Direito na Universidade Católica Dom Bosco pela manhã e fazer estágio no MP à tarde, durante a noite Bruna cursava Jornalismo na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Devido ao atraso no curso de Jornalismo gerado pelas constantes greves ela nos conta que concluiu o curso em seis anos, quando a lógica seria concluir o curso de Jornalismo primeiro já que esse tem um ano a menos que o de Direito. Porém, isso a permitiu fazer estágio em um dos maiores jornais de Campo Grande, o que foi uma experiência muito enriquecedora, ressalta. A empresária destaca que durante os anos de estudo dormiu pouco, dormiu mal, não participou de tantas festas quanto queria, porém, hoje está melhor do que muitos colegas que preferiram curtir a maioria das festas em vez de se dedicar devidamente à faculdade.

Sobre os assuntos em pauta no seu canal no YouTube, ela diz que os trazem sem receio em relação ao trabalho da editora, ou seja, os compositores não deixarão de procurar a editora porque ela está explicando tudo sobre Direitos Autorais nos vídeos, e acrescenta: “se fosse assim todo mundo iria ser advogado, pois, na internet estão todos os modelos de petições, todas as leis e jurisprudências, etc.”. O fato de compartilhar o conhecimento sobre os Direitos Autorais não enfraquece o trabalho da editora, ao contrário disso, reforça ainda mais. Além disso, demonstra a transparência e seriedade do trabalho da Editora Rede Pura para com os compositores. No pensamento de Bruna o que precisa ser feito é o fortalecimento da classe dos compositores e inclusive do ECAD. Nesse sentido sempre fala aos seus compositores: “Em vez de querer acabar com o ECAD, vamos deixar o ECAD mais forte e vamos cobrar do ECAD para que ele fique melhor”.

Antes de fundar sua própria editora Bruna Campos trabalhou durante um tempo na Panttannal Discos e ajudou a gravadora a montar sua editora. Com esse trabalhou, passou a entender mais sobre Direitos Autorais. Sobre a sua relação com os proprietários da Panttannal a empresária se diz muito grata. Pois, nesse período foi um tempo difícil em sua casa, seu pai queria que ela seguisse pelo ramo do Direito e a família Teló proporcionou a ela trabalhar com musica e não precisar jogar fora os anos de faculdade de Direito, visto que o trabalho na editora uniu as duas coisas. Durante sua estadia na Panttannal, Bruna conta que foram quatro anos de convivência maravilhosa com o Teófilo, irmão do cantor Michel Teló e o Sr. Aldo Teló, com quem aprendeu muito cujas deixas são frases de efeito sempre absorvidas por àqueles que convivem com ele, uma das preferidas de Bruna é: “as desculpas servem pra você, quando você começa a se justificar muito sobre uma coisa você está se justificando para você, no fundo no fundo você sabe que você errou”. Depois desse trabalho, esteve por dois anos com a dupla João Bosco e Vinícius fazendo assessoria de imprensa e assessoria jurídica.

No início a Rede Pura era um provedor de internet que tinha conta de e-mail bloqueada de spam daí o nome Rede Pura. Quando da revisão do contrato social da empresa ‘Provedor de Internet Rede Pura e Jornal’ a empresária sugeriu para o seu pai que também acrescentasse editora musical no contrato. Pois, se desse tempo, algum dia ela iria mexer com aquilo. E aconteceu que a editora deu certo, deixando de ser provedor e jornal e voltando-se completamente para as atividades de edição musical. A ideia de criar a editora veio do aprendizado anterior no trabalho com a família Teló. A empresária enfatiza que sua intenção não era ter uma grande editora e sim, ter o jornal, ter o provedor de internet e atender seus amigos próximos do ramo musical através da editora. Bruna destaca que quando surgiu o primeiro grande sucesso com a musica Você de Volta gravada pela dupla Maria Cecília e Rodolfo, as coisas fugiram de seu controle. Muitos compositores passaram a editar suas musicas na Rede Pura, e repentinamente não havia mais tempo para cuidar do provedor e nem do jornal, somente da editora. Então, em 2007 nasceu a Editora Rede Pura.

Segundo Bruna Campos, as primeiras dificuldades da editora foi fazer com que os sócios entendessem que aquilo poderia dar dinheiro. Pois, no começo, quando a empresa ainda era provedor e jornal, os rendimentos da editora não pagava o salário de sua única funcionária, nem contas de água ou de luz do prédio. E acrescenta que, o maior obstáculo sempre é convencer os parceiros que um negócio vai dar certo. Além do primeiro grande sucesso administrado pela editora, a Rede Pura cuida de algumas canções bastante executadas nas rádios como: Camaro Amarelo dos compositores Thiago Machado, Marco Aurélio, Márcia Araujo e Bruno Caliman, gravada pela dupla Munhoz e Mariano; Amar Não é Pecado dos compositores Marco Aurélio, Thiago Machado, Fred Liel e Gustavo Warnner Chappell; e Meteoro do compositor Sorocaba, gravadas pelo cantor Luan Santana, além de muitas outras. A editora tem mais de dez mil obras editadas e atende mais de dois mil compositores em todo o Brasil e alguns brasileiros domiciliados no exterior.

A empresária ressalta que a relação da editora com os compositores é maravilhosa. Sempre com muita atenção e procurando retorno rápido para sanar suas dúvidas ou direcioná-los ao departamento responsável. E sempre que possível ela mesma trata do assunto. Entre as parcerias a Rede Pura conta com uma agregadora que trabalha o direito autoral nas plataformas digitais e, a Warnner Chappel e Socinpro que cuidam das arrecadações no exterior. Outro fator interessante é que a editora trabalha com o sistema de audição, ou seja, a musica não precisa ser necessariamente editada pela Editora Rede Pura para ter seu potencial comercial avaliado pela editora. O compositor envia suas musicas para o setor de áudio, se a musica estiver dentro dos moldes procurados para repertório, a editora mostra para o artista, caso o artista se interesse em gravar a musica a Rede Pura faz o contrato de edição daquela obra com o compositor. De acordo com Bruna Campos, não há vantagem nenhuma em reter a obra de um autor e não seria justo para o compositor ceder 25% dos direitos autorais para uma editora de uma musica que ficará engavetada. A relação com os artistas se dá de várias formas. Quando o artista tem interesse em gravar uma musica, esse deve procurar a editora em que a musica está editada. Em outros casos o compositor fala que um artista se interessou por uma de suas musicas e quer gravar. Nesse caso, a editora entra em contato com o artista para negociar e realizar os trâmites contratuais.

Nossa entrevistada pondera que, gostaria que os compositores procurassem a Rede Pura no intuito principal de proteger suas obras. Recomenda que é sempre mais fácil quando o compositor envia a musica direto para o artista, ou seja, é uma relação que contem um envolvimento mais emocional. E acrescenta ainda, que o trabalho da editora não é simplesmente encaminhar musicas para os artistas. A editora deve dar todas as orientações para o compositor, intermediar negociações, fazer todas as documentações de liberação para a gravadora, receber da gravadora a cada três meses, se a gravadora não pagar a editora tem que cobrar. Se um artista independente quiser gravar uma musica a editora deve enviar orçamento, se o artista gravar sem autorização a editora tem a possibilidade de tirar o vídeo do YouTube, notificar o artista, processar o artista. A editora também dá todo o respaldo jurídico no caso de plágios e de gravações não autorizadas por qualquer meio, inclusive jingles de campanha política. A editora também é responsável por fazer as autorizações para as execuções na TV, por exemplo. Cada execução gera uma autorização.

Quando perguntado o que a fez criar um canal no YouTube revelando os mistérios do mercado fonográfico, Bruna Campos diz: “eu respondo essas perguntas que eu falo nos vídeos todas as semanas, então resolvi colocar em um canal, o dia que o compositor me faz uma pergunta que eu já tenha respondido em um vídeo eu envio o link para ele e sano suas dúvidas”. O que é melhor do que ligar e ficar explicando. Sobretudo, Bruna considera que sai ganhando quando a classe é fortalecida. Pois, muitas mentiras são faladas para queimar quem recebe direito autoral por aqueles que não têm interesse em pagar. Muitas mentiras são criadas por rádios e promotores de eventos, e sua luta é para derrubar essas mentiras. E continua: “eles não têm interesse em pagar, mas, nós temos interesse em receber”. Conforme relata a empresária, há sim pessoas contra o trabalho de esclarecimento sobre direitos autorais que ela vem desenvolvendo no YouTube. Entretanto, não é ela quem diz que os direitos autorais devem ser pagos, e sim a lei.

Os vídeos são elaborados de acordo com as dúvidas apresentadas pelos compositores e suas sugestões através das redes sociais ou pelo telefone. Uma boa notícia para quem gosta de acompanhar os trabalhos da Bruna no YouTube é que ela tem pauta até dezembro para novos vídeos. Com as habilidades desenvolvidas no curso de jornalismo ela roteiriza os temas, além de trabalhar os enfoques de câmeras e outros pontos envolvendo questões técnicas da produção audiovisual. No futuro, pretende colocar legendas nos vídeos para beneficiar também as pessoas com deficiência auditiva, tornando assim os vídeos mais acessíveis. Com o trabalho dos vídeos, ela nos revela que o número de obras enviadas para a editora aumentou significativamente. A intenção é encontrar os compositores que estão perdidos pelo Brasil afora, no interior dos estados e nas pequenas cidades, e acrescenta: “onde quer que tenha um compositor, pode haver um grande talento a ser descoberto”. Bruna diz que não quer apenas ficar batendo palmas e fazendo reverencia para compositores famosos, ela quer encontrar grandes talentos, e através do seu trabalho na web ela diz que vai encontrar.

A empresária comenta que pretende ser convidada para ministrar palestra sobre o tema Direitos Autorais no futuro. Pois, ela percebe que a maioria dos palestrantes que tratam do assunto não tem conhecimento profundo sobre as questões abordadas e acabam falando muitas besteiras. E essas palestras precisam de alguém que vive o dia a dia do Direito Autoral e sabe das dificuldades. Além de administrar a Editora Rede Pura e cantar, Bruna tem um selo chamado BiPop que está em estágio de expansão e atualmente está na recém profissão esposas (risos). Casada no final de 2015, divide sua agenda entre Campo Grande e Rio Verde de Mato Grosso outra cidade da região onde mora seu marido. Eles têm duas casas, e por conta do trabalho, às vezes estão em uma cidade às vezes em outra. Tem ainda a intenção de divulgar a cidade de Rio Verde de Mato Grosso, ajudar na divulgação do estado e ajudar os amigos. Gosta ainda de falar sobre maquiagem e culinária. Entre todas as coisas que faz, Bruna também é representante da Socinpro, umas das oito associações que compõe o ECAD. Além de atender os compositores na Rede Pura, ela atende artistas e músicos acompanhantes pela associação. Nas horas de lazer edita seus vídeos, assiste seriados, gosta de acompanhar os podcast da CBN para manter-se atualizada e como boa descendente japonesa adora estar ligada nas inovações tecnológicas. Ela também gosta de cachorros, quando está em Campo Grande conta com a companhia de Mony, uma pequena cachorrinha trazida por sua mãe.


Bruna sonha em ser mãe, contudo, não sabe se vale a pena colocar um filho no mundo do jeito que está hoje. Todavia, sua visão de futuro é ser mãe e poder ensinar valores para seus filhos como, ser honesto, fazer o bem e agir corretamente com as pessoas, pois isso sempre vai valer a pena. Atrelado a isso, continuar trabalhando com direitos autorais e manter os negócios da editora em crescimento. Ressalta, que os compositores nunca irão parar de compor, nem os artistas parar de cantar e entretenimento sempre fará parte da vida das pessoas. Essa matéria foi escrita no inverno de 2016, através de respostas enviadas em áudio por essa pessoa incrivelmente inteligente e simpática chamada Bruna Campos. Para saber mais sobre a Editora Rede Pura e sobre a Bruna Campos acesse: Editora Rede PuraYouTubeFacebook e Derrama Vol. 1.