2 de março de 2015

Budd Zunga - Hatter Mad Blues

3 de janeiro de 2015

PROFESSOR EDWARD: DICAS PROFISSIONAIS

PROFESSOR EDWARD: DICAS PROFISSIONAIS: Em tempos de concorrência é necessário termos um diferencial para alcançarmos nossos objetivos. Muitas pessoas se perguntam, o que é um di...

PROFESSOR EDWARD: Bem vindos

PROFESSOR EDWARD: Bem vindos: Olá meus amigos, Desejo que todos tenham um Ano Novo cheio de Paz, Amor e Prosperidade. Estou criando este espaço para que possamos div...

15 de dezembro de 2014

Sustentabilidade

A palavra do momento é sustentabilidade. Uma palavra bonita, porém de difícil aplicação. Todo empreendimento humano deve considerar as questões sociais, energéticas, econômicas e ambientais para que esteja dentro do conceito de sustentabilidade. Quando uma dessas vertentes não é cuidadosamente considerada o ciclo sustentável se quebra causando problemas de curto, médio e longo prazo. O principal elemento desse ciclo é a sociedade. Desenvolver atividades que não permitam ou prejudiquem o desenvolvimento humano coloca em risco um modelo de vida saudável que se espera alcançar para a humanidade no futuro. A questão energética é fundamental, pois, sem energia para as indústrias, lares, meios de transporte e sistemas de comunicação e informação essa sociedade voltaria para o chamado ‘tempo da pedra’. Ao longo dos séculos o próprio organismo humano se adaptou a algumas facilidades trazidas pela modernidade. O homem de hoje teria muita dificuldade em viver na mata da pesca e da caça. A Economia estuda a escassez de bens buscando meios para que não faltem recursos para todos. Quando a distribuição dos bens é feita irregularmente ocorre o atraso e até mesmo o retrocesso na qualidade de vida de uma parcela da sociedade. O sistema de transporte público sucateado é exemplo de escassez nos grandes centros urbanos. Muitas pessoas compram veículos para não depender do sistema arcaico oferecido pelas empresas de transporte, deste modo procuram ganhar tempo e melhorar a qualidade de vida. Essas pessoas, quando questionadas, afirmam que se o transporte público fosse de qualidade optariam por usá-lo. Vê-se nesse caso desequilíbrio na administração dos recursos financeiros dos sistemas de transporte público. Com mais veículos nas ruas ocorre lentidão no tráfego, poluição sonora, visual e atmosférica. A poluição atmosférica desencadeia doenças respiratórias que superlotam os hospitais gerando gastos para a área da saúde. Percebe-se que os fatores relacionados estão intimamente ligados e que várias mudanças devem ser feitas tanto no setor público quanto no privado para alcançar a dita sustentabilidade. A Gestão Ambiental é uma ferramenta que deve fazer parte de todas as empresas públicas e privadas. Deve-se desenvolver uma visão holística no que tange às questões abordadas e muitas outras devem ser consideradas. Empreendimentos voltados para obter lucro sem tocar as questões sociais, energéticas, econômicas e ambientais não terão espaço no novo cenário que se apresenta. Cada dia mais pessoas estão tomando conhecimento dos problemas ambientais e setores que não buscarem a sustentabilidade perderão esses clientes.

Zel Florizel

12 de dezembro de 2014